Categorias
Mercado Financeiro Na mídia Open Banking Open Finance

Nova fase do Open Banking será implementada em 29 de outubro

O Banco Central do Brasil (BC) anunciou, sexta-feira (27/08), o adiamento da terceira fase do Open Banking, relacionada à integração dos serviços de iniciação de pagamento. Prevista para começar em 30 de agosto, a terceira fase terá início agora em 29 de outubro de 2021. O regulador adiou os prazos para atender a demanda de bancos e fintechs que compõem o Conselho Deliberativo do Open Banking.

Para solicitar o adiamento da terceira fase, o Conselho Deliberativo do Open Banking alegou a necessidade de ajustes em especificações técnicas. Sem esses ajustes, a realização de testes que são imprescindíveis para certificar as instituições participantes seria prejudicada. O adiamento foi anunciado por meio da Resolução BCB no 133/2021.

A terceira fase do Open Banking dá início aos serviços de iniciação de transações de pagamento e de encaminhamento de propostas de operação de crédito. O objetivo é dar aos clientes de instituições financeiras mais facilidade e comodidade nas transações de pagamento e transferências, incluindo o Pix, além de fomentar um ecossistema de inovação. 

A proposta do BC é facilitar o acesso a serviços financeiros e oferecer mais opções de canais para que o cliente efetue as transações. Mas é sempre necessário ressaltar que nenhuma ação de compartilhamento de dados irá ocorrer sem que o cliente autorize previamente. Além disso, esse consentimento deve ser específico para cada transação.

Na terceira fase do Open Banking, novas possibilidades de pagamento incluem: Pix, TED e transferências entre contas na mesma instituição, pagamentos com boletos e pagamentos com débito em conta. 

O BC ainda não informou se será mantida para 30 de março de 2022 a implementação da modalidade de encaminhamento de proposta de crédito. Com essa etapa em operação, os clientes poderão solicitar, em ambientes eletrônicos, propostas de crédito, como empréstimos e financiamentos, a diversas instituições financeiras, como bancos, cooperativas e financeiras. O objetivo é facilitar a comparação de taxas e demais condições.